Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog recolhe e organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog recolhe e organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

PLACAS E CIRCUITOS ELETRÓNICOS QUE GANHAM UMA NOVA VIDA COMO INSETOS

Mäyjo, 06.02.17

foto_1

 

Os insetos eletrónicos de Julie Alice Chappell

 

DEZ COISAS QUE NUNCA DEVE MANDAR PELA SANITA

Mäyjo, 29.01.17

fralda_SAPO

Todos sabemos que as toalhitas de bebé não devem ser atiradas pela sanita, mas existem outros produtos, objectos ou entidades alimentares que são encontradas, todos os anos, nos esgotos da cidade de Londres, Inglaterra.

 

Fique com uma lista de objectos mais – e menos – óbvios que não deve enviar, em nenhuma situação, pela sanita abaixo.

 

1.Gordura alimentar

Atirar gordura alimentar pela sanita abaixo é pôr-se em problemas – e às entidades gestoras das águas, também. Quando misturada com toalhitas de bebés e outros detritos, a gordura torna-se numa entidade quase indestrutível – a que os britânicos chamam Fatberg – provocando graves problemas nos nossos esgotos.

 

2.Preservativos

Não é fácil enviar um preservativo pelo esgoto abaixo, mas há muitas pessoas que o conseguem. Segundo Simon Evans, da Thames Water – que gere os esgotos de Londres – os preservativos podem ser vistos a boiar nos esgotos e têm de ser retirados à mão.

 

3.Animais de estimação

Não é brincadeira. Nos esgotos podem ser vistos peixes, atirados pelas pessoas que os compram e, depois, se fartam deles, mas também hamsters e ratos-do-deserto.

 

4.Fraldas

Se enviar um preservativo pela sanita é difícil, uma fralda é muito mais difícil. Ainda assim, há quem o consiga fazer.

 

5.Partes do corpo humano

Há bocados de dedos, dedos inteiros e até mãos nos esgotos de Londres.

 

6.Cotonetes e tampões

Ambos não se decompõem e podem formar bolas de algodão durante meses ou anos, bloqueando os esgotos. Depois, têm de ser retirados à mão.

 

7.Carros

Um dia, metade de um Mini foi retirada dos esgotos. É raro, mas aconteceu.

 

8.Tinta e resíduos de construção

A tinta é mais um produto que, claramente, não faz parte do esgoto nem do que vai pela sanita abaixo. Mas não é incomum lá aparecer.

 

9.Drogas

Sobretudo seringas, que para além de pouco higiénicas podem provocar graves lesões a quem anda pelos esgotos.

 

10.Comida

Se um pedaço de pão não causa problemas de maior, o mesmo não acontece se pedaços de osso ou até de um caroço de uma maçã forem enviados pela sanita.

 

Foto: Inga Munsinger Cotton / Creative Commons

Um centro comunitário construído com 40.000 garrafas

Mäyjo, 29.11.16

foto-1_original

No bairro de Cazucá, na capital colombiana, Bogotá, foi construído um centro comunitário a partir de mais de 40.000 garrafas de plástico recicladas. Construído pela Fundação Nukanti, o centro oferece espaço para várias actividades que facilitam a inserção social de grupos vulneráveis, como as mulheres, crianças e jovens afectados pela pobreza extrema, conflitos e violência.

 

A comunidade de Cazucá alberga cerca de 70.000 pessoas e é conhecida pela pobreza extrema e acessos deficitários aos serviços públicos. De maneira a minimizar estes problemas, a Fundação Nukanti, em parceria com a Green Hope da Colômbia e a Stakey Hearing Foundation, construiu este centro que não só oferece um espaço seguro para as crianças, mulheres e jovens com problemas como também educa a comunidade para as técnicas de construção sustentáveis.

A construção do centro demorou cerca de dois anos e recorreu a mão-de-obra local. Há ainda painéis solares que gerem electricidade para o centro.

 

Real Madrid e Bayern de Munique utilizam camisas feitas com plástico retirado do oceano

Mäyjo, 16.11.16

uniformesadidas-ecod.jpg

Duas das maiores equipas de futebol mundial: Real Madrid e Bayern de Munique, usam nesta temporada camisolas feitas com plástico retirado do oceano. Elas garantem alta performance num dos desportos de maior contacto e competitividade.

As camisolas foram desenvolvidas pela fornecedora de material desportivo dessas duas potências do futebol, a Adidas, em parceria com a Parley for the Oceans. O Bayern de Munique usou as camisas Adidas x Parley na partida contra o TSS 1899 Hoffenheim, no dia 5 de novembro. Já o Real Madrid usará na partida contra o Real Sport Gijón, no próximo dia 26.

adidas1.jpg

O segundo produto da parceria são os tênis de corrida UltraBOOST Uncaged Parley. O design foi inspirado nas ondas do mar, trazendo uma malha feita com uma mistura de plásticos retirados do oceano (95%) e poliéster reciclado (5%). Os cadarços, a sola e o suporte do calcanhar também foram feitos com materiais reciclados.

“Esses lançamentos representam um novo passo na jornada da Adidas com a Parley for the Oceans. Nós não somente conseguimos criar um calçado de plástico no recicla do oceado, como também criamos a primeira camisola feita 100% com resíduos do oceano”, explica Eric Liedtke, membro do conselho executivo do Adidas Group e responsável por Global Brands.

O executivo afirma que o objetivo da empresa e da Parley for the Oceans para 2017 é retirar cerca de 11 milhões de garrafas PET de áreas costeiras. Todo esse material será transformado em novos produtos de elite e alta performance.

“Agora não estamos pensando só em gerar conhecimento para o problema. Queremos colocar em ação e implementar estratégias que possam acabar com o ciclo de poluição de plástico para sempre”, afirma Cyrill Gutsch, fundador da Parley for the Oceans.

 

Veja ao vídeo do projeto (em inglês):

 

 

 

O lixo de sete dias

Mäyjo, 04.11.16

1

QUANTO LIXO ACUMULAMOS EM APENAS EM 7 DIAS?

 

Fotos: Gregg Segal